Guarda Municipal do Rio de Janeiro - GM-Rio
Guardas municipais prendem quatro homens neste fim de semana na cidade

Prisões foram por porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas, extorsão e exercício ilegal da profissão


03/03/2016 20:01:00


Guardas municipais prendem quatro homens neste fim de semana, dias 5 e 6 de agosto, por porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas, extorsão e exercício ilegal da profissão, com flagrantes realizados no Centro e nas zonas Norte e Oeste da cidade.


No domingo, dia 6, guardas do Grupamento de Operações Especiais (GOE) foram alertados por um taxista sobre um trio de bicicleta que estaria assaltando pessoas em ruas próximas no entorno do Centro de Tradições Nordestinas, em São Cristóvão. Por volta das 15h40, a equipe flagrou os três suspeitos na Avenida do Exército. Ao perceber a aproximação dos guardas, o grupo tentou fugir e dois foram detidos. Fábio Barbosa da Silva, de 23 anos, e Marlon da Silva Veiga, de 20, estavam com um revólver calibre 32 sem munição. Após o flagrante, os acusados foram conduzidos para a Cidade da Polícia, onde o caso foi registrado como porte ilegal de arma com base na lei do desarmamento.

 

Ainda no domingo, outra prisão aconteceu na Praia do Pepê, na Barra da Tijuca. Guardas do Grupamento Especial de Praia (GEP) prenderam um homem identificado como Wanderson Luis da Conceição, de 41 anos, após flagrá-lo com 31 pacotes (sacolés) de cocaína. Inicialmente, os guardas foram acionados por cidadãos para intervir em uma briga que acontecia próximo à tenda de observação na praia. Wanderson estava envolvido na discussão e, ao perceber a chegada da equipe, tentou fugir e se desfazer de uma sacola plástica, que continha a droga. O material foi encaminhado para o Instituto de Criminalística Carlos Éboli, onde constatou-se que era cocaína. O caso foi registrado na 16ª DP (Barra da Tijuca).


No sábado, dia 5, o guardador de carros Wellington de Almeida, de 31 anos, foi preso em flagrante na Rua do Resende, no Centro, por guardas da Unidade de Ordem Pública (UOP) da Lapa-Cruz Vermelha por ameaça e exercício ilegal da profissão. A equipe foi acionada pelo motorista que se sentiu ameaçado pelo guardador. Segundo relato da vítima, Wellington falou que arranharia o seu carro porque ele pagaria pelo uso da vaga somente quando retornasse ao veículo. Além de ter ameaçado o condutor, o guardador também não apresentou credenciais da atividade. A ocorrência foi registrada na 5ª DP (Centro). 


Imagens relacionadas: