Candidaturas do AGCRJ aprovadas no Programa Memória do Mundo - UNESCO
 

Em 2007, o AGCRJ obteve êxito com a aprovação da candidatura "Vereanças do Senado da Câmara" – devido à sua excepcional relevância e singularidade no registro do episódio histórico do século XIX conhecido como "Dia do Fico".
 

Em 2013, a instituição conquistou novamente esse reconhecimento com a candidatura "Comissão Organizadora do Segundo Congresso Operário Brasileiro" – evento de trabalhadores ocorrido em 1913, no Rio de Janeiro, que reuniu notáveis entidades coletivas de diferentes regiões do Brasil. Trata-se, acima de tudo, de documentação única do gênero sobre o tema. 
 

Em 2014, o Arquivo Geral da Cidade consagrou-se com a candidatura "Série Aforamentos". A documentação nominada é composto por cartas de aforamento e pagamentos de foros e laudêmios. O Aforamento – ou a Enfiteuse – consiste no ato de transferir a outrem o domínio útil de um imóvel em troca de uma renda anual, o foro, e tem caráter perpétuo, embora possa cessar por vários motivos. O laudêmio, por sua vez, é pago quando o foreiro aliena parcialmente ou todo o imóvel de forma lucrativa. O Aforamento foi uma das principais maneiras, ao lado da distribuição de Sesmarias, de obtenção de terras no Brasil desde o início da colonização. Este acervo refere-se à ocupação do solo urbano carioca desde o século XVI. Permite, portanto, acompanhar a evolução patrimonial territorial do Rio de Janeiro, as batalhas travadas pela posse e o usufruto do chão carioca, nas quais se envolveram munícipes, religiosos e a Administração Pública, perpassando séculos.

 

Em 2015, a candidatura "Registros Fotográficos Oficiais das Intervenções Urbanas na Cidade do Rio de Janeiro (1900-1950)", com mais de 35.000 imagens produzidas pelo Poder Público Municipal, foi premiada pelo amplo painel das reformas urbanas no Rio de Janeiro (a Belle Époque de Pereira Passos, o desmonte do Morro do Castelo, a abertura de grandes avenidas como a Presidente Vargas e a Brasil) durante meio século. Estas imagens, tanto fotografias quanto negativos, compõem parcelas das Coleções Augusto Malta e Henrique Dodsworth e do Fundo Secretaria Geral de Educação e Cultura. O e-book com imagens selecionadas acompanhando a candidatura pode ser acessado aqui.

Essa mesma candidatura obteve o registro do Comitê Nacional do Brasil, como ocorrido em 2007, 2013 e 2014, tanto quanto o congênere do Comitê Regional da América Latina e Caribe, conquistado, pela primeira vez, pela instituição. Ambos os registros foram conferidos ao AGCRJ em 2015. O e-book anteriormente produzido foi traduzido para o inglês e o espanhol, atendendo às normas do edital e promovendo a ampliação da divulgação do conteúdo.

 

Em 2017, a candidatura "Registros Iconográficos da Revolta da Armada (1893-1894)", proposta pelo Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, em parceria com o Museu Histórico Nacional e o Instituto Moreira Salles, foi premiada por apresentar fotografias dos impactos causados na cidade do Rio de Janeiro pelo primeiro grande movimento político depois de instaurada a República no Brasil – a Revolta da Armada. O conjunto documental, composto por mais de 250 registros, é formado, sobretudo, por imagens capturadas pelos fotógrafos Marc Ferrez (1843-1923) e Juan Gutierrez (1859-1897). 

 

O Programa Memória do Mundo, sob a égide da UNESCO, reconhece patrimônios documentais de significância internacional, regional e nacional, mantém o seu registro e lhes confere um certificado, que os identifica. O Programa facilita também a preservação e o acesso a este Patrimônio, além de trabalhar para despertar a consciência coletiva sobre a importância do patrimônio documental da Humanidade.