Operação Carnaval: Vigilância atua no entorno do Sambódromo com foco em bebida que pode ser causa de intoxicação

Publicado em 26/02/2020 - 01:03 | Atualizado
Vigilância Sanitária coleta amostras de bebida para análise. Foto: Divulgação

O quinto dia da Operação Carnaval da Subsecretaria de Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio começou com inspeções e muita orientação em pontos de venda de alimentos por ambulantes no entorno do Sambódromo. A fiscalização foi em atendimento a denúncias sobre quadros de intoxicação em foliões que participaram de blocos carnavalescos em outros bairros da cidade e que podem ter sido provocados por uma marca de bebida alcoólica. Nas duas primeiras horas da ação iniciada por volta das 18h desta terça-feira, 25, os fiscais vistoriaram 19 dos 100 ambulantes cadastrados para atuar no local, coletando três amostras de sabores diferentes da bebida para análise no Laboratório Municipal de Saúde Publica (Lasp), em São Cristóvão, no Complexo Zona Norte da Vigilância.

 

– Com as denúncias e o aumento do atendimento de casos de intoxicação em foliões de blocos, montamos a ação hoje mesmo. Ainda mais nesta noite que aqui no Sambódromo, com os desfiles das escolas mirins, registra um grande movimento de jovens, público mais atraído por esta bebida colorida e de baixo valor. E como a nossa principal missão é prevenir riscos à saúde, estamos reforçando as orientações e adotando medidas para identificar se houve uso de matérias-primas de má qualidade, algum tipo de contaminação na fabricação de lotes específicos ou se as reações foram provocadas pelo consumo excessivo da bebida – explicou a coordenadora de Eventos da Vigilância Sanitária, Marissol Figueiredo, adiantando que os laudos devem ser concluídos no próximo sábado.

 

Em cinco dias, 293 inspeções com 57 infrações na área da Sapucaí

Depois da ação do entorno do Sambódromo que resultou ainda em uma multa por validade vencida de dez quilos de ketchup e outros molhos inutilizados, os fiscais atuaram na Sapucaí, realizando mais 20 vistorias em serviços de saúde (ambulâncias e postos médicos) e áreas comuns como banheiros. Ao todo, a Operação Carnaval da Vigilância Sanitária contabilizou nesta terça, 25, na Passarela do Samba e entorno 39 fiscalizações e uma multa. Com esses números, sobe para 293 as inspeções feitas na área em cinco dias, com 57 infrações aplicadas, a maioria, por falta de licença sanitária.

 

Ações educativas e vacinação – Além das fiscalizações, a Vigilância manteve no Setor 7 um estande para ações educativas. Em interação direta com o público, técnicos da Superintendência de Educação do órgão distribuíram mais de quatro mil folhetos com dicas básicas que ajudam a prevenir riscos. No espaço funcionou também o plantão da Ouvidoria para atendimento de denúncias exclusivas do Sambódromo e um Totem com os principais serviços digitais da Prefeitura do Rio, como o Taxi.Rio e o Sisbicho, de microchipagem e cadastro no Registro Geral de Animais. O estande volta a funcionar no próximo sábado, 1º de março, dia do Desfile das Campeãs, com todas as frentes, inclusive, com a equipe da Secretaria Municipal de Saúde que em três dias – sábado, domingo e segunda – vacinou contra o sarampo 568 pessoas, entre trabalhadores e foliões de 15 a 59 anos.