Mais 70 autonomias de táxis entregues, e Prefeitura do Rio chega a 1.900 documentos distribuídos

Publicado em 26/09/2019 - 14:24 | Atualizado em 27/09/2019 - 16:56
Mais 70 taxistas passam a ter autonomia no Rio de Janeiro. Foto: Marco Antonio Rezende/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entregou 70 novas autonomias de táxi nesta quinta-feira, dia 26 de setembro, durante cerimônia no Palácio da Cidade, em Botafogo. Com isso, a Prefeitura atinge a marca de 1.900 documentos distribuídos a auxiliares em pouco mais de dois anos e meio. Alguns profissionais aguardavam o benefício há mais de 20 anos. Na gestão anterior, foram apenas 589, ao longo de quatro anos. As autonomias permitem que os beneficiados fiquem livres do pagamento de diárias e tenham chance de melhorar a renda da família.

– Hoje, com essa autonomia, vocês estão dando um passo rumo à liberdade. Eu agradeço pela oportunidade de ser prefeito num momento difícil da cidade em crise e poder olhar por vocês, pela classe – afirmou Crivella.

Entre os taxistas, emoção, alegria e muitas histórias de superação.

– Para mim, a autonomia é sinônimo de vitória da minha luta e persistência de quase duas décadas. Esse documento vai representar a economia de, no mínimo, 800 a mil reais por mês. É um alívio para a minha família e a tranquilidade para pagar a compra de um novo carro – ressaltou Domingos dos Reis Pimenta, de 71 anos.

 

Domingos dos Reis Pimenta, de 71 anos: “Autonomia para mim é sinônimo de vitória da minha persistência”. Foto: Marco Antonio Rezende/Prefeitura do Rio

 

Neide Aparecida Figueiredo Muniz de Andrade, de 50 anos, disse que pagou R$ 100,00 por dia, em média, para trabalhar em carro de terceiros, por 14 anos.

– Era uma escravidão. Nesse tempo, paguei mais de R$ 400 mil para trabalhar. Agora posso comprar meu próprio carro. Certa vez encontrei o prefeito na rua, em Jacarepaguá, e, chorando, pedi que ele ajudasse nossa categoria. Nunca perdi a esperança depois disso. E hoje essa ajuda se materializa. É muita emoção – contou Neide, que cuida sozinha de um casal de filhos e uma neta, de apenas um mês.

 

Neide Aparecida Figueiredo Muniz de Andrade, de 50 anos, contou que pagou R$ 100,00 por dia, em média, para trabalhar em carro de terceiros, por 14 anos. “Foram mais de R$ 400 mil nesse período”, comentou. Foto: Marco Antonio Rezende/Prefeitura do Rio

 

Emocionado, sem conseguir conter as lágrimas, Joviano de Andrade, de 62 anos, há 20 na praça, falou em nome da categoria.

– Eu só tenho a agradecer. A Prefeitura está nos dando a liberdade de poder seguir em frente, sem a preocupação de dormir e acordar devendo, de não ter tempo para a família. Eu saía pra trabalhar com meu filho dormindo, chegava com ele dormindo. Agora tudo vai mudar – resumiu.

– Vocês Iniciam hoje uma etapa muito especial em suas vidas, mais livres para o lazer, para a família e mais independentes financeiramente – comentou a secretária municipal de Transportes, Virgínia Salerno.

O evento contou, mais uma vez, com a presença do Procon Carioca, que registrou pedidos de taxistas para renegociação de dívidas, a fim de que não haja impedimento no processo de compra de seus veículos. Os beneficiados são motoristas auxiliares (homens e mulheres) com maior tempo de serviço como taxista. Seguindo o que foi estabelecido em decreto municipal, 10% das 70 autonomias entregues nesta quinta foram reservadas a motoristas com deficiência, outros 10% a mulheres e mais 10% a taxistas que tenham na família pessoas com deficiência como dependentes econômicos. Atualmente, a cidade do Rio tem cerca de 31 mil permissionários e 20 mil auxiliares de táxi.