Prefeitura faz treinamento com profissionais da saúde sobre coronavírus

Publicado em 10/02/2020 - 17:53 | Atualizado em 10/02/2020 - 19:16
Profissionais de saúde são preparados para atuar em casos da doença. Foto: Mariana Ramos / Prefeitura do Rio

A Secretaria Municipal de Saúde realiza nesta quarta-feira (12) um novo treinamento para os profissionais de saúde da rede para assistência a casos suspeitos de coronavírus. A meta é levar as orientações para os profissionais que servirão de multiplicadores para outros e alcançar o maior número de funcionários que atuam na rede hospitalar e de Atenção Primária. Os envolvidos receberão as instruções contidas no Plano Municipal de Contingência do Novo Coronavírus, que está alinhado com os planos do Estado e do Ministério da Saúde. Nesta nova etapa, serão dois dias seguidos de treinamento voltado para representantes de todas as 233 unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde). A atividade acontecerá das 14h às 18h, no auditório da Prefeitura, na Cidade Nova.

Na manhã desta segunda-feira (10), cerca de 170 profissionais da rede hospitalar foram capacitados. Diretores de hospitais, coordenadores de comissões de controle de infecção hospitalar e dos serviços de enfermagem receberam as orientações da SMS para atendimento de casos suspeitos de coronavírus. O conteúdo do treinamento será repassado pelos gestores a todas as equipes que atendem diretamente a população.

Mário Lima, subsecretário de Atenção Hospitalar, Urgência e Emergência, reforçou a importância da participação das equipes na capacitação . Foto: Mariana Ramos/ Prefeitura do Rio

 

“Vamos treinar todos que estão na linha de frente do atendimento, as equipes dos plantões e fins de semana, de cada um dos nossos hospitais”, afirmou Mário Lima, subsecretário de Atenção Hospitalar, Urgência e Emergência.

Os participantes receberam instruções sobre como identificar casos suspeitos que cheguem aos hospitais, bem como sobre os protocolos de acolhimento, isolamento e coleta de material para análise em laboratório. “Temos a necessidade de replicar o conhecimento e seguir procedimentos padronizados, com base nas orientações do Ministério da Saúde. Não podemos negligenciar esta situação, mas também temos que ter responsabilidade e o cuidado para não gerar pânico na população”, destacou Mário Lima.

Patrícia Guttmann, superintendente de Vigilância em Saúde, ressaltou a importância de integração de toda a rede, com padronização do atendimento e agilidade na comunicação de casos suspeitos.

“A Vigilância está aberta a qualquer dúvida e vai discutir todos os casos um a um, em toda a rede. Principalmente porque temos informações novas a cada dia e muitas dúvidas que vão surgir no dia a dia”, afirmou.

 

Fique por dentro de tudo o que acontece na Secretaria Municipal de Saúde do Rio e nos siga nas redes sociais!