Dia D de vacinação contra o sarampo será neste sábado

Publicado em 28/11/2019 - 11:00 | Atualizado em 29/01/2020 - 09:03
Campanha de vacinação contra o sarampoJovens de 20 a 29 anos que não possuem o esquema vacinal completo devem se vacinar

A Prefeitura do Rio realiza neste sábado, 30 de novembro, o Dia D de Mobilização da Campanha de Vacinação contra o Sarampo. A segunda fase da campanha é voltada para jovens de 20 a 29 anos que não têm o esquema de vacinação completo, com duas doses da vacina tríplice viral que protege também contra caxumba e rubéola. Vale ressaltar que a vacina está disponível em todas as 232 unidades de Atenção Primária, (clínicas da família e centros municipais de saúde) das 8h às 17h.  Contando a 1ª fase da campanha, mais de 22.400 doses foram aplicadas em crianças de seis meses até cinco anos incompletos, e 6.630 doses em jovens de 20 a 29 anos.

— Importante ressaltar para a população que essa campanha é para avaliação da necessidade de tomar a vacina ou não. Quem está com o esquema vacinal em dia não precisa tomar nova dose. Em caso de dúvida, procure um posto de vacinação. Nesse sábado, nossas unidades estarão abertas durante todo dia para aqueles que não podem comparecer em dias úteis — disse a secretária municipal de saúde, Beatriz Busch.

Lembrando que a ação, em suas duas etapas, é destinada aos que não receberam duas doses da vacina nas datas indicadas no calendário do Ministério da Saúde. A vacinação contra sarampo será feita com a utilização de vacina tríplice viral (que atua contra sarampo, caxumba e rubéola) ou dupla viral (contra sarampo e rubéola).

A avaliação da necessidade de vacinar ou não é feita pelos profissionais que atuam na imunização, a partir da avaliação da caderneta de vacinação do usuário. Para interromper a circulação viral e controlar a doença, a ideia é intensificar a cobertura vacinal e atingir a meta de imunização de 95% da população.

Apesar dos esforços para a erradicação dos casos de sarampo, no Brasil e em outros países têm surgido casos da doença, que estava controlada, porém retornou e, desde o ano 2000, o aumento mais significante no município foi em 2018 com 17 casos confirmados. Em 2019, foram confirmados 48 casos da doença em moradores do Rio.

CONTRAINDICAÇÕES

As contraindicações à administração Tríplice Viral ou Dupla Viral são: indivíduos com hipersensibilidade grave conhecida a algum componente da vacina (anafilaxia), imunodeficiência e gestantes.

Em caso de dúvidas sobre a vacinação é importante recorrer a um profissional de saúde na unidade de vacinação. Orientamos levar a Caderneta de Vacinação para que seja avaliada.

Fique por dentro de tudo o que acontece na Secretaria Municipal de Saúde do Rio e nos siga nas redes sociais!