Servidores da Vigilância Sanitária fazem curso de atualização sobre legislação de tabagismo  

Publicado em 06/03/2020 - 10:01 | Atualizado em 06/03/2020 - 10:06
Vigilância Sanitária faz curso de atualização sobre tabagismo com 250 servidores - Divulgação

Servidores da Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses, da Prefeitura do Rio, passam por mais uma importante atualização. É o curso da legislação do tabagismo, que regulamenta o uso, a propaganda e a comercialização de cigarros, charutos, dispositivos eletrônicos, narguilé e demais produtos fumígenos. Iniciada na quarta-feira (04/03), a capacitação é fundamental para a intensificação das ações que a Vigilância fará em breve para marcar o Dia Nacional de Combate ao Fumo, 31 de maio. Divididos em cinco turmas, cerca de 250 servidores que atuam nas fiscalizações do segmento vão passar pela qualificação realizada na sede da Superintendência de Educação do órgão, no Humaitá.

 Durante o treinamento que acontece ainda neta sexta (06/03), e nos próximos dias 9 e 12, gestores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) passam conhecimentos sobre a publicidade para a venda de cigarros e as novidades do mercado quanto aos cigarros eletrônicos. Eles levam também informações sobre a saúde de fumantes e de fumantes passivos, e ainda esclarecem dúvidas relativas a vaporizadores. André Luiz Silva, gerente geral de Registro e Fiscalização de Produtos Fumígenos Derivados ou não do Tabaco (GGTAB) da Anvisa, reforça em sua aula a importância da atuação dos agentes de fiscalização quando o assunto é tabagismo.

 – Costumam dizer que a Vigilância combate vetores. Nesse caso, o vetor do tabagismo é a publicidade, e contamos com todas as vigilâncias municipais na fiscalização desses produtos – disse André.

 A coordenadora do Núcleo de Integração de Fiscalização em Ambientes de Trabalho (Nifat) da Vigilância, Mônica Valim, estava entre os servidores da primeira turma capacitada no curso que agradou.

– O treinamento me acrescentou uma nova consciência profissional sobre o papel das vigilâncias sanitárias municipais. Não só para coibir a venda irregular de produtos como também para prevenir danos à saúde causados por substâncias como a nicotina encontrada no cigarro – pontuou Mônica.

 

O curso apresenta informações sobre a publicidade para a venda de cigarros, entre outros assuntos – Divulgação

 

Mediado pela médica-veterinária Aline Borges, coordenadora de Alimentos da Vigilância, o primeiro treinamento contou com a participação de Jeanne Valentim, também da Anvisa; das técnicas do Programa de Controle de Tabagismo da Secretaria Municipal de Saúde (SMS); e Ana Helena Rissin e Roseli Cruz e Andrea Reis, coordenadora do Programa Nacional de Controle do Tabagismo do Inca.