‘Defesa Civil Itinerante’ inicia no Chapéu Mangueira e na Babilônia programa de prevenção de riscos em comunidades com sirenes

Publicado em 26/08/2019 - 10:12 | Atualizado em 26/08/2019 - 14:53
Técnicos vistoriaram equipamentos que alertam a comunidade em caso de riscos. Foto: Paulo Sérgio/ Prefeitura do Rio

O projeto “Defesa Civil Itinerante” começou nesta segunda-feira nos morros da Babilônia e Chapéu Mangueira, ambos em Copacabana, na Zona Sul. A iniciativa leva um programa de prevenção de riscos em caso de temporais característicos do verão a moradores das 103 comunidades cariocas que contam com sirenes de alerta. São áreas que integram o Sistema de Alerta e Alarme Comunitário para Chuvas Fortes da cidade. A intenção da Prefeitura do Rio de Janeiro, por intermédio da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), é preparar a população para situações de emergência e conscientizar a todos da importância do cuidado com possíveis desliamentos e desabamentos.

 

Agentes da Defesa Civil percorreram a comunidade, alertando e orientando moradores sobre como agir durante temporais. Foto: Paulo Sérgio / Prefeitura do Rio

 

A ação desta segunda foi realizada das 9h às 12h, quando técnicos da Defesa Civil prestaram esclarecimentos sobre o sistema implementado em 2011. Foram feitos testes de acionamento de sirenes e verificações dos pontos de apoio (abrigos emergenciais durante temporais) e das placas de sinalização.

– Checaremos o programa em todas as 103 comunidades monitoradas pela Prefeitura antes do verão. A ideia é reforçar e multiplicar as noções de prevenção durante a estiagem e, assim, minimizar o impacto da chegada das chuvas da estação. Este trabalho vai ao encontro dos desenvolvidos pela Defesa Civil em escolas, associações e pontos públicos, onde conscientizamos a população na prática da resiliência. Por isso é muito importante que todos participem – explicou o coordenador executivo da Defesa Civil municipal, Rodrigo Bissoli.

 

Pontos de apoio também foram checados pelos agentes da Defesa Civil. Foto: Paulo Sérgio/ Prefeitura do Rio

 

Material informativo

No acesso às comunidades, agentes do órgão distribuíram folhetos sobre prevenção de acidentes, riscos de desastres naturais, funcionamento das sirenes e pontos de apoio. O material contém ainda informações úteis, entre elas, como fazer pedidos de vistoria pelos telefones 199 e 1746 e como se cadastrar no serviço de alerta de chuvas e ventos fortes, via SMS da Defesa Civil. Para isso, o morador deve enviar o CEP de sua residência para o número 40199, por mensagem de texto.

Calamidade 

O Defesa Civil Itinerante busca minimizar impactos como os causados pelas chuvas de abril deste ano – as mais fortes já registradas em 22 anos, segundo dados do AlertaRio – e que levaram o Governo Federal a reconhecer o Estado de Calamidade Pública decretado pela Prefeitura. Em diversos pontos, os pluviômetros registraram recordes históricos acima dos 300 milímetros em apenas 24 horas.