Copa América 2019: Vigilância Sanitária volta a campo nos dias 22 e 24

Vigilância Sanitária em ação no Maracanã. Foto: Nelson Duarte / Prefeitura do RioVigilância Sanitária em ação no Maracanã. Foto: Nelson Duarte / Prefeitura do Rio

A Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa) segue com o roteiro de inspeções da Copa Ampérica 2019. A próxima ação será no sábado, 22, dia do terceiro jogo da seleção brasileira, com a torcida reunida nos eventos da Fan Fest da Praça Mauá, na Região Portuária. O time da Vigilância entra em campo, literalmente, na segunda, 24, para mais uma vistoria no Estádio Mário Filho, onde o Chile enfrenta o Uruguai em uma disputa que promete ser uma das mais concorridas das cinco do torneiro internacional realizadas no Rio.

Desde o início da operação, em 14 de janeiro, até a última terça-feira, 18, a Vigilância realizou 783 inspeções, 627 delas na primeira etapa das prévias concluídas em 14 de junho, abertura da Copa. Durante esses cinco meses, as equipes das coordenações de Alimentos, Saúde e Engenharia se revezaram na vistoria de dois shoppings, 13 hotéis, três campos de treinamento e comércio de alimentos, conferindo banheiros, cozinhas, sistema de climatização, de água e de gerenciamento de resíduos, incluindo o Maracanã e arredores, por conta da maior concentração de público. Ao todo, foram aplicadas 231 infrações e emitidos 263 termos de intimação com exigências a serem cumpridas, como adequações estruturais e limpeza de depósitos.

Ações prévias

Como vem fazendo há dois anos em grandes eventos que acontecem no Rio, a Vigilância Sanitária investiu nas ações prévias para a Copa América para levar orientação e exigir de estabelecimentos as adequações para minimizar problemas durante a competição. “Essa estratégia de inspeções prévias com mais capacitação em higiene na manipulação de alimentos tem proporcionado resultados cada vez melhores. Agora mesmo para a Copa América fizemos quase 800 vistorias em cinco meses, com uma significativa redução no descarte de alimentos impróprios ao consumo: cerca de 100 quilos. Em eventos anteriores do mesmo porte, chegamos a ter mais de 2 mil quilos inutilizados”, comemora a médica-veterinária Marissol Figueiredo, coordenadora de Eventos da Vigilância, onde atua há 30 anos.