Ambulante Legal beneficia mais 200 trabalhadores com crachás do programa, que organiza o comércio de rua

Publicado em 02/08/2019 - 14:08 | Atualizado em 03/08/2019 - 10:59
A ambulante Joana D'Arc exibe o crachá que lhe dá tranquilidade e garantia para trabalhar no Centro. Foto: Paulo Sérgio / Prefeitura do RioA ambulante Joana D'Arc exibe o crachá que lhe dá tranquilidade e garantia para trabalhar no Centro. Foto: Paulo Sérgio / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entregou nesta sexta-feira, 2 de agosto, crachás do Ambulante Legal a mais 200 trabalhadores que, com o documento, passam a ter garantia e tranquilidade para vender suas mercadorias. O programa, criado em 2018, organiza o comércio de rua e regulariza a atividade, além de facilitar a fiscalização e a identificação dos titulares autorizados. Mais de dois mil trabalhadores, em 30 bairros, já foram beneficiados.

– Esse crachá aqui é um documento oficial. Nós temos que valorizar isso. Caso vocês tenham algum problema em ocupar o espaço dessa concessão pública, devem comunicar à Prefeitura. Nós vamos trabalhar com a nossa equipe de inteligência para evitar que isso aconteça – disse Crivella, que entregou pessoalmente a credencial aos ambulantes.

Valorização do trabalhador

O documento de identificação dispõe de QR Code, código de barras bidimensional de resposta rápida que permite não só aos fiscais, mas também à população, acessar informações como nome, número de inscrição, tipo de mercadoria e local em que o ambulante está autorizado a trabalhar.

– Essa vitória é de todos nós, me sinto valorizada, e não perseguida. Podemos ficar à vontade e trabalhar. Tenho certeza de que esse é o sentimento de todos os meus colegas – afirmou Joana D’Arc do Nascimento Silva, de 58 anos, vendedora de pamonha na Rua Primeiro de Março, no Centro.

Nesta sexta, foram entregues crachás a titulares de licenças para comércio que atuam em Benfica, Centro, Caju, Mangueira, Paquetá, Santo Cristo, São Cristóvão e Saúde.

Outros bairros já tinham sido alcançados pelo programa: Copacabana, Leme, Méier, Feira do Calçadão de Bangu, Campo Grande, Santa Cruz, Vila Kosmos, Anchieta, Cascadura, Coelho Neto, Guadalupe, Irajá, Madureira, Marechal Hermes, Oswaldo Cruz, Parque Anchieta, Pavuna, Ricardo de Albuquerque, Rocha Miranda, Vicente de Carvalho, Vila da Penha e Vista Alegre.

O Ambulante Legal, instituído pelo Decreto 44.838/2018, é resultado de um trabalho conjunto das secretarias municipais de Fazenda e de Ordem Pública, com participação da Guarda Municipal.