Órgãos municipais fazem balanço de ações para reduzir impacto da chuva na noite de quinta

Publicado em 31/01/2020 - 13:49 | Atualizado em 31/01/2020 - 15:18
Equipe do Centro de Operações Rio (COR) faz o monitoramento do município, acompanhando as chuvas que caem na cidade. Fotos: Marcos de Paula / Prefeitura do RioEquipe do Centro de Operações Rio (COR) faz o monitoramento do município, acompanhando as chuvas que caem na cidade. Fotos: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio virou a noite trabalhando para equacionar os transtornos causados pela forte chuva de quinta-feira (30/01). Às 18h55, a cidade estava em Estágio de Mobilização, o segundo nível em uma escala de cinco, que significa que há riscos de ocorrências de alto impacto. Por volta das 20h, a chuva ganhou muita força, e a cidade entrou em Estágio de Atenção. O Rio amanheceu nesta sexta-feira (31/01) em Estágio de Mobilização.

Guarda Municipal

A Guarda Municipal do Rio atuou com 494 guardas municipais em todas as regiões da cidade, em diversos pontos onde houve ocorrências de bolsões de água, alagamentos, quedas de árvores e semáforos apagados. Equipes da Unidade de Ordem Pública (UOP) do Catete prestaram auxílio a mais de 70 pessoas, fazendo o transporte para locais seguros e sem alagamentos no bairro.

Comlurb em ação

As equipes da Comlurb trabalham para remover árvores caídas. De um total de 50 quedas registradas, 18 afetaram vias públicas.

Atualização do tempo

Segundo o Sistema Alerta Rio, há previsão de pancadas de chuva a partir da tarde desta sexta-feira, em pontos isolados. Há a possibilidade de raios e rajadas moderadas de vento (entre 18,5 km/h e 51,9 km/h). As temperaturas seguem estáveis e variam entre 40°C e 23°C.

Onde mais choveu

Até as 4h desta sexta, as áreas mais afetadas foram: Laranjeiras, Santa Teresa e Urca. Em Laranjeiras, por exemplo, choveu 45,2 milímetros, o que corresponde a 32,3% do total de chuva neste local só no mês de Janeiro (139,8mm).

Bolsões

Na quinta-feira, houve registro no COR de 15 bolsões d’água.

Rajadas de vento

Segundo dados que são da REDEMET, a rajada de vento mais forte registrada durante a chuva foi de 66,6 km/h, às 20h de quinta-feira, no aeroporto Santos Dumont.