Mais 150 crachás do Programa Ambulante Legal são entregues e vendedores se emocionam

Publicado em 12/02/2020 - 15:03 | Atualizado em 12/02/2020 - 15:07
Carlos Olímpio Cardeal se emocionou ao receber o crachá. Foto: Divulgação / Prefeitura do RioCarlos Olímpio Cardeal se emocionou ao receber o crachá. Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entregou nesta quarta-feira (12/02) mais 150 crachás de identificação do Programa Ambulante Legal. O evento, que ocorreu na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, reuniu titulares de licenças para comércio ambulante que atuam em dez bairros da cidade: Santa Cruz, Bangu, Campo Grande, Realengo, Jardim Sulacap, Paciência, Magalhães Bastos, Sepetiba, Senador Camará e Santíssimo. Mais uma vez, o prefeito pediu para os trabalhadores usarem o crachá com responsabilidade.

– Eu tenho meu crachá, de prefeito. Eu o uso com absoluta responsabilidade. Espero que vocês usem bem também o de vocês e nunca deem propina a ninguém – advertiu Crivella.

O programa já alcançou 121 bairros na cidade e distribuiu 7.682 crachás com QR code, código de barras bidimensional de resposta rápida que permite não só à fiscalização, mas também à população acessar informações como o nome, o número de inscrição e as mercadorias que o ambulante está autorizado a comercializar. Além disso, por meio da tecnologia, também é possível verificar o local em que aquele ambulante pode atuar na cidade, respeitando o ordenamento urbano.

Vendedores ambulantes se emocionam

Carlos Olímpio Cardeal, de 56 anos, chorou ao receber o crachá. Há 30 anos, ele vende doces e refrigerantes no centro de Campo Grande.

– Só Deus e minha família sabem o que já enfrentei trabalhando nas ruas. Cansei de perder mercadorias para guardas municipais, por falta deste crachá. Agora acabou essa agonia e os prejuízos – justificou Carlos, que disse ter criado quatro filhos com sua atividade.

Para Edigleide Marques, de 67 anos, o crachá é uma espécie de consagração de sua atuação como vendedora de roupas femininas em Bangu.

– É um troféu pela minha persistência de 40 anos nessa batalha. Estou muito feliz. É um dia especial demais – comentou Edigleide.

Edigleide Marques comemorou a obtenção do seu crachá de identificação. Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio
Edigleide Marques comemorou a obtenção do seu crachá de identificação. Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio

Identificação facilitada

Crivella lançou o programa em agosto de 2018. O Ambulante Legal tem o objetivo de organizar e facilitar a identificação dos ambulantes autorizados a trabalhar na cidade, propondo, inclusive, a implantação de políticas públicas de qualificação profissional aos trabalhadores. O programa também observa o comércio da região, de forma que a organização dos ambulantes não cause qualquer prejuízo ou conflito com o comércio estabelecido no local.