A pedido de associações de moradores, Prefeitura vai revisar calendário de blocos do carnaval

Publicado em 13/01/2020 - 23:27 | Atualizado
Presidentes de associações de moradores da Zona Sul são recebidos no Palácio da CidadePresidentes de associações de moradores da Zona Sul são recebidos no Palácio da Cidade. Reprodução

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, recebeu nesta segunda-feira (13/01), no Palácio da Cidade, presidentes de associações de moradores da Zona Sul e, atendendo a um pedido deles, informou que a Prefeitura vai revisar o calendário de grandes blocos de carnaval que desfilam na região. Durante o encontro já ficou decidido que a partir de agora só haverá um megabloco por dia.

– Recebi a visita dos presidentes das associações de moradores da Zona Sul do Rio de Janeiro, preocupados com os eventos que ocorreram ontem (12/01) após o show (do Bloco da Favorita) em Copacabana. A pedido deles, estamos revendo o calendário de aprovação dos blocos na Zona Sul do Rio de Janeiro. Amanhã (14/01),  vão se reunir no COR com todos os órgãos da Prefeitura, eles, os superintendentes e administradores regionais da área. Mas uma coisa já decidimos: no dia em que tiver um megabloco, nesse dia só terá o megabloco.  Não pode ter muitos outros blocos, porque isso não é possível. Os blocos pequenos, com a ajuda deles, vamos estabelecer o calendário.

Presidente da Sociedade Amigos de Copacabana, Horácio Magalhães elogiou a atitude de Crivella:

– Acho que o prefeito deu uma demonstração de sensibilidade política. Primeiro, de reconhecer  que houve um problema e buscar a solução para o problema. O mais importante de tudo é ouvir a população.

Denise Correa, presidente da Associação Viva a Selva de Pedras, lembra que a reivindicação das entidades é antiga:

– Isso é uma coisa que vem lá de trás, não é de agora. Vem de governos anteriores. Eu, como presidente de associação, lá em 2012 já tinha esse prenúncio do que ia acontecer, e está aí o resultado.

Déa Maria Orlando, que preside a Associação Comunitária do Leme, lembra que as entidades de bairros devem permanecer unidas:

Os bairros têm que estar juntos com o governo, com o prefeito, para todas essas coisas a gente discutir em conjunto para resolver.

Crivella acrescenta que a revisão do calendário era necessária:

– Tudo isso para evitar violência, depredação e distúrbios em áreas residenciais. Os blocos que não estiverem satisfeitos receberão  autorização para desfilar no Centro da cidade.