Auditoria realizada pela CGM-Rio na concessão da Linha Amarela aponta prejuízo de R$ 1,6 bilhão à Prefeitura

Reprodução: O Dia
Reprodução: O Dia

O trabalho de auditoria realizado pela Controladoria Geral do Município do Rio de Janeiro na concessão da Linha Amarela calculou em R$ 1,6 bilhão o prejuízo causado aos cofres da Prefeitura por sobrepreço nas obras, cobrança de tarifa acima do necessário para manter o equilíbrio do contrato, e fluxo de veículos subestimado na via. Na última sexta-feira (19/7), a Secretaria Municipal de Transportes notificou a LAMSA para que a concessionária se manifeste, no prazo de 30 dias, sobre o relatório da auditoria da CGM-Rio e do processo administrativo a respeito da concessão.

O cálculo do prejuízo faz parte das irregularidades constatadas em sindicância administrativa no 11º Termo Aditivo da concessão da Linha Amarela, assinado em maio de 2010. “O cálculo de R$ 1,6 bilhão é o mais amplo até agora, levando em conta todas as variáveis, como o sobrepreço e o excedente de veículos. O ganho da LAMSA pode ser explicado devido à cobrança de pedágio acima do que seria justo caso o fluxo não tivesse sido subestimado”, afirmou a Controladora-Geral do Município, Márcia Andréa dos Santos Peres.

Desde o início da cobrança de pedágio, em 1998, até o final de 2018, passaram pela via 151.282.630 veículos além do que havia sido projetado na modelagem financeira da concessão.

Categoria: CGM

23 de julho de 2019