SMASDH contra a importunação sexual

Publicado em 20/02/2020 - 11:33 | Atualizado em 11/03/2020 - 13:43

Equipes da Assistência Social mobilizaram a Central do Brasil com a Campanha “Folia Sim, Importunação Sexual Não”.

Com foco nas festas de Carnaval a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) tem realizado diversas ações por toda cidade através da Campanha “Folia sim, importunação sexual não”, que tem a finalidade de conscientizar sobre a importunação feita com mulheres em lugares públicos e que tem ainda mais incidência no período da folia.

Na manhã desta quarta-feira,19, a equipe da Subsecretaria de Política para as Mulheres distribuiu panfletos, realizou atendimentos, e divulgou vídeo da Campanha na Central do Brasil. Quem passou pelo local pôde ter informações sobre a Lei Federal nº 13.718/18, que criminaliza situações como contato físico sem consentimento em locais como transporte público e festas.

De acordo com a secretária da pasta, Tia Ju, as ações têm ajudado a informar a população e incentivado as mulheres a não se calarem.

“Não é de hoje que as pesquisas mostram que as denúncias de violência sexual – que abrange de assédios ao estupro – aumentam mais de 85% no carnaval. Infelizmente, o aumento da importunação sexual é uma realidade nesta época do ano, mas sabemos também que o aumento destes números pode ter conexão com as campanhas que incentivam a denúncia. Com certeza, as nossas ações têm encorajado muitas mulheres.”

 

A ação contou com a presença da escritora, Michele Pin, da representante da OAB, Mulher e criadora do blog Superação da Violência Doméstica, Marilia Boldt, e da subsecretária, Joyce Braga, que estivera juntamente com os técnicos da SUBPM trabalhando para conscientização do tema.

Para Marília, a campanha de importunação sexual é de extrema relevância, pois traz a conscientização para sociedade sobre respeitar o “não” da mulher. O avanço nos direitos das mulheres e na igualdade de gênero, só irá acontecer de fato quando a voz e a individualidade da mulher for respeitada.

“Essa época do ano muitas mulheres são abordadas de forma desrespeitosa e indesejada, acredito que a sociedade está precisando de mais informação. Então essa ação que está acontecendo hoje, aqui na Central, é muito importante. Eu estou muito feliz em estar participando,” – afirma a escritora Marcele Pin.