Prefeitura mantém mobilização na Vila Sapê no dia seguinte a desabamento de casa

Publicado em 13/08/2019 - 12:30 | Atualizado em 21/11/2019 - 11:49
Funcionários da Prefeitura ajudam moradores a retirar móveis de casas interditadas na Vila Sapê. Foto: Richard Santos / Prefeitura do RioFuncionários da Prefeitura ajudam moradores a retirar móveis de casas interditadas na Vila Sapê. Foto: Richard Santos / Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro mantém, nesta terça-feira, 13 de agosto, equipes mobilizadas para atender moradores da Rua Cordeiro, na Vila Sapê, em Curicica, na Zona Oeste. No local, na véspera, um imóvel desabou parcialmente, e duas pessoas – uma mulher de 21 anos e o filho, de 3 – foram resgatados com vida e encaminhados ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

Veja vídeo:

Confira o balanço deste segundo dia de atuação dos órgãos municipais:

Assistência social

Morador da Vila Sapê, em Curicica, é cadastrado pela assistência social. Foto: Richard Santos / Prefeitura do Rio Morador da Vila Sapê, em Curicica, é cadastrado pela assistência social. Foto: Richard Santos / Prefeitura do Rio

Equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), formadas por assistentes sociais e psicólogos, estão na Vila Sapê desde as primeiras horas após o desabamento. Foi montada ali uma tenda para os atendimentos. Até 11h desta terça, nove famílias dos imóveis localizados ao lado da casa afetada tinham sido atendidas. Houve oferta de acolhimento, mas nenhuma aceita.

As equipes também seguem fazendo levantamento na área para identificar pessoas sem documentação, para que possam tirar a segunda via e dar continuidade ao cadastramento. Os familiares das vítimas do desabamento, internadas no Lourenço Jorge, foram contatados, e outra equipe da SMASDH visitou mãe e filho no hospital, para prestar assistência.

Estado de saúde das vítimas

A Secretaria Municipal de Saúde informa que os dois pacientes internados, Raiane Silva Jardim e o filho Nicolas, permanecem em estado estável. Logo após chegarem à unidade, na segunda-feira, momentos depois do desabamento, foram submetidos a exames.

Interdições de casas com risco

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública, interditou, no total, 16 imóveis na região da Vila Sapê. Além do prédio de três pavimentos que desabou parcialmente, outros quatro imóveis foram condenados para demolição. As 11 edificações restantes estão localizadas no entorno do desabamento, sendo interditadas preventivamente até avaliação mais criteriosa. Dez técnicos da Defesa Civil atuaram na região. A Guarda Municipal mantém agentes para controlar o isolamento da área afetada.

Escombros do imóvel que desabou na Vila Sapê: mãe e filho, de 3 anos, ficaram feridos. Foto: Richard Santos / Prefeitura do Rio Escombros do imóvel que desabou na Vila Sapê: mãe e filho, de 3 anos, ficaram feridos. Foto: Richard Santos / Prefeitura do Rio

Demolições encerradas

Com efetivo de 15 trabalhadores e utilização de uma escavadeira hidráulica, a Secretaria Municipal de Conservação (Seconserva) finalizou o serviço de demolição de cinco imóveis que apresentavam risco de desabamento. São eles uma casa de três pavimentos e cobertura; outra de três pavimentos; e mais três casas de madeira.

Leia também

http://noticias.prefeitura.rio/rio-faz-destaque/prefeitura-atua-com-rapidez-para-prestar-apoio-a-moradores-de-comunidade-onde-casa-desabou-em-curicica/