Ação de órgãos municipais no Centro acolhe pessoas em situação de rua

Publicado em 13/08/2019 - 12:08 | Atualizado em 14/08/2019 - 10:30
Ação da Prefeitura no Centro ofereceu acolhimento a pessoas em situação de rua. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do RioAção da Prefeitura no Centro ofereceu acolhimento a pessoas em situação de rua. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, acompanhou na noite desta segunda-feira, 12 de agosto, o início de uma grande operação de ordenamento urbano no Centro. Durante toda a semana, equipes de diversos órgãos municipais estarão atendendo demandas na área como limpeza, reparo de calçadas e da iluminação, combate ao comércio irregular, poda de árvores e recuperação de monumentos públicos. Um dos principais pontos de atuação será a abordagem da população em situação de rua, a primeira após a publicação do decreto nº 46.314, do  último dia 2 de agosto. Apenas na noite desta segunda foram registrados 74 acolhimentos.

– Durante toda essa semana a Prefeitura estará aqui no Centro fazendo reparos, um trabalho de manutenção grande, e também abordando a população de rua – afirmou o prefeito.

Cerca de 150 servidores participaram do primeiro dia da operação, que envolveu órgãos municipais como as secretarias de Assistência Social e Direitos Humanos, Ordem Pública, Infraestrutura e Habitação e Saúde, além da Coordenadoria de Controle Urbano, Comlurb, Rioluz, Guarda Municipal e a Superintendência do Centro. A ação, que começou por volta das 19 horas no Largo do Carioca, contou ainda com o apoio da Polícia Militar. A meta é que até sexta-feira todo o bairro tenha sido beneficiado.

A inspetora-chefe da Guarda Municipal, Tatiana Mendes, ao lado de outros servidores, conversa com pessoa em situação de rua no Centro. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio
A inspetora-chefe da Guarda Municipal, Tatiana Mendes, ao lado de outros servidores, conversa com pessoa em situação de rua no Centro. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

Quase 7 toneladas de entulho recolhidas

A operação no Centro do Rio foi determinada pelo próprio prefeito em uma reunião com seu secretariado no último domingo, no Palácio da Cidade. Toda a região foi mapeada, com a identificação dos principais problemas de cada uma das áreas. Para dar apoio à operação, uma base da Guarda Municipal foi instalada no Largo da Carioca, onde ficará até o final dos trabalhos.

– É muito bom me deparar com essa iniciativa da Prefeitura. Todas as noites eu passo pelo Largo da Carioca a caminho de casa e me deparo com muitos problemas. Essa é uma ótima iniciativa – afirmou Erivaldo Elias, de 44 anos, que trabalha como segurança em uma empresa de transporte.

De acordo com o balanço das cinco primeiras horas de operação, 6,8 toneladas de entulho foram recolhidas, quase 300 mercadorias vendidas irregularmente apreendidas e nove carros rebocados. Assistentes sociais da Prefeitura acolheram 74 pessoas em situação de rua: 46 foram levadas para hotéis sociais na região e as demais direcionadas para abrigos públicos. Um foragido da Justiça foi detido e encaminhado à 5ª DP (Centro). Também foram apreendidas durante as abordagens nove facas, uma tesoura e cinco barras de ferro.

Decreto orienta assistência a pessoas em situação de rua

A Prefeitura do Rio de Janeiro foi a primeira do país que se reuniu com o governo federal para tratar da implementação da nova legislação federal que autoriza a internação compulsória de usuários de drogas. No último dia 8, o prefeito e o ministro da Cidadania, Osmar Terra, discutiram no Palácio da Cidade ações conjuntas para acolher esses usuários, além de políticas de prevenção e também de segurança que contariam ainda com a participação do estado.

Na semana passada, o Diário Oficial do Município publicou decreto do prefeito determinando como deveria ser a assistência a pessoas em situação de rua e com orientações para a recuperação de dependentes de drogas. O texto estabelece regras e condições de acolhimento e também para internações voluntárias e involuntárias. A Lei Federal 13.840, que altera pontos do Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas e autoriza a internação involuntária, foi sancionada em junho deste ano pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

A Comlurb também participou da ação no Centro, com serviço, entre outros, de poda de árvores. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio
A Comlurb também participou da ação no Centro, com serviço, entre outros, de poda de árvores. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio